Foco primordial no paciente

Nesses tempos onde vivemos a questionar a atuação daqueles não médicos, realizando procedimentos delicados, envolvendo riscos e complicações. Vemo-nos diante de um fato a martirizar ainda mais nossa profissão. Diante dos ocorridos, frente a uma atitude irresponsável e deveras questionável, a medicina é mais uma vez envolvida em polêmica triste.

Durante nossa formação aprendemos que o respeito a ética é uma premissa fundamental para o exercício honesto de nossa profissão. Uma ciência fundamenta em árduos estudos, buscando sempre o melhor para os pacientes. Sem ciência, sem experimentação, sem estudo, sem comprovação, não é possível conduzir qualquer desejo de bem estar para àqueles que nos procuram.

Não deixo de lembrar a fala de um grande professor nos idos de minha formação: “em primeiro lugar o paciente, em segundo lugar o paciente, em terceiro lugar o paciente”. De fato, este tem que ser nosso alvo ao percorrermos os corredores dos hospitais e clínicas onde atendemos. Sem isso em mente, não há razão para darmos continuidade a nossa atuação. 

Quando colocamos nossos interesses puramente financeiros em voga, o perigo vem à tona. É obvio, que nosso trabalho pressupõe ganho, porém, este não pode sobrepor o foco no paciente. Fomos levados equivocadamente a crer que medicina é um sacerdócio. Não somos sacerdotes, não somos deuses, tão pouco super-heróis dotados de poderes extra sensoriais. Somos sim humanos, criaturas devedoras como qualquer outra aqui neste planeta. Sujeitas a erros, na maioria das vezes gerados por nossa vaidade e crença de que fomos criados como deuses. Não temos nenhum sinal verdadeiro de divindade. 

Ser médico pressupõe estudo e dedicação, noites mal dormidas, muita leitura e provas diárias. Não há como não reconhecer o fato de que vocação é uma premissa fundamental para uma formação de confiança. Sem ela não é possível definir onde começa e termina o “ser médico”.

Quando entrei para a medicina sempre soube das grandes responsabilidades que teria dali em diante. E assim foi durante minha formação. Ser médico para mim sempre esteve em primeiro lugar. Nos altos e baixos, nas idas e vindas, vi-me inclusive como paciente, assumindo o protagonismo do outro lado. Assim, descobri que não podemos ser bons médicos se não formos “pacientes” literalmente. Escolhi por fim a cirurgia vascular por ser uma especialidade com um leque de possibilidades, sobretudo, pela proximidade com os doentes. Aprendi com outro mentor, que colhendo uma boa história e examinando minuciosamente o paciente, noventa por cento do diagnóstico estaria assegurado. E assim foi, assim o é! Não fossem alguns percalços da vida, estaria hoje como preceptor talvez, desejando levar algo a mais, da medicina primordial.

Como médicos temos inúmeras responsabilidades, somos formadores de opinião, devemos buscar incansavelmente o primor. Ao vermos as tragédias médicas e atos não médicos televisionados, vamos entendendo que algo fundamental foi esquecido. O foco perdeu-se e a “valorização” acaba sendo maior do que o tratamento ideal para nossos assistidos.

Longe de querer julgar o que ocorreu diante dessas histórias trágicas, devemos refletir sobre aquilo que estamos fazendo. Não seria hora de indagarmos nossos alunos e residentes, sobre o real motivo que os levaram a estar onde estão? Não seria hora de sairmos dos púlpitos, das redes sociais, fugirmos dos flashes e estarmos mais focados no propósito maior de nossa profissão? O paciente e seu bem estar?  

Não podemos ser melhores, não podemos ser bons, se nossa meta não for antes de mais nada, buscar o melhor do melhor para aqueles que confiam em nós! 

Jefferson Kleber Forti

Belo Horizonte, 19 de julho de 2018

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Clínica Vasculaire

Rua Padre Pedro Pinto, 2.613 - Venda Nova 

Belo Horizonte/MG - Brasil

  • Facebook Social Icon
  • Instagram ícone social
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Segunda - Sexta      08:00 - 18:00
Sábado e Domingo  - Fechada

Tel: (31) 3144-2000

© 2014 por Clínica Vasculaire. Orgulhosamente criado com Wix.com